Acredite nos que buscam a verdade... Duvide dos que encontraram! (A.Gide)

26 março 2014

MANIFESTO DO REENCANTAMENTO DO MUNDO (2001 - última revisão 2014)


Manifesto do
Reencantamento do Mundo
São Paulo, 1 de dezembro de 2001
Texto conforme 6.ª revisão (março 2014)
Jovens e adultos, crianças
e
velhos de coração vivo,
recusamos acreditar que a vida tenha que ser tão besta
como nos tem sido apresentada:
um mundo em que todos têm que rosnar uns para os outros,
e cumprir metas cinzentas, que ninguém sabe quem estabeleceu
– nem a que levam.
O suco da realidade está bem além do que pode ser reduzido
a medida, peso, preço. Isso é só o esqueleto.
Viramos um mundo de roedores de ossos.
Queremos mais que isso. Podemos mais!
Salvar Galileu e queimar Giordano Bruno deu numa civilização manca. Mas nós não embarcamos nessa viagem do Nietzsche, dos céus vazios e silenciosos. Assumimos nossa porção índia e suas lições, e estamos vendo que o Universo é inteligente, e que todos os seres se comunicam em existência e em sentido.
Tudo tem alma, sentido, intenção. 
Tudo
dialoga com o ser humano, se este quiser escutar.
Encantamento!
Não, não falamos de simulacros,
de sonhos enlatados disneyanos
pintados em paredões sem vida,
nem de telinhas fosforescentes numa vida-prisão.
Falamos de consciência aguda do Momento e do Lugar.
Você frente a frente com as coisas, cara a cara com a Vida.
Vendo mundos em grãos de areia, e um céu numa flor do mato
(c
omo disse o poeta William Blake).
E André Gide reforça: Sábio é quem com tudo se espanta!
Gente como Aristóteles e Goethe via aí
o princípio de toda Ciência; você vai achar que é bobagem?
Olhos de criança ávida de conhecer o mundo!
Todo Ser Humano é capaz de se encantar...
e de, em seguida, reencantar o mundo;
com mãos de Amor.
É sério: só com profissionais encantados
teremos mundo onde valha a pena viver.
Não só os artistas e os cientistas. Para o professor, então,
é óbvio: essa é a primeira condição.
Mas não basta: o delírio responsável
precisa chegar ao hardcore dos que fazem este mundo:
engenheiros, advogados, administradores...
... até que o sonho realize cidades menos irracionais,
até que os funcionários dos três setores
suicidem essa violência estéril chamada burocracia,
até o último juiz enxergar que condicionar Justiça a "excelências" e "meritíssimos"
é opressão indigna de subsistir num mundo digno de subsistir. 
Até que todas as relações humanas tenham rosto humano de novo.
Felicidade!
Felicidade, sim, como objetivo da sociedade!
Economia, Desenvolvimento, Técnica, Poder... como meios,
jamais como razão das nossas escolhas. Servos
da felicidade de todos os seres.
O que é preciso concluiu Voltaire é cultivar nosso jardim.
Ser Humano e Natureza parceiros,
mundo e vidas construídos como Arte.
Dançar ao produzir... e dançar por dançar!
Uma Ética nascida não de regras, mas
da percepção do brilho nos olhos do outro.
Humor, sempre – mas nunca sem Amor.
E mirantes!
Mirantes em toda parte como investimento: afinal (como explicava Fernando Pessoa)
sou do tamanho do que eu vejo, e não do tamanho da minha altura
.
A cidade está produzindo multidões sem visão
– mas a solução não está em “líderes sábios”,
pois podemos ser um povo inteiro de sábios: 
visão e maravilhamento para TODOS!!!
Pois não, não adianta disfarçar: jamais haverá encanto verdadeiro enquanto for privilégio de poucos. Basta da falsidade do tal "princípio do proveito próprio", de Adam Smith,
com sua mãozinha tão invisível quanto vendida,
que construiu o inferno atual.
Somente a ação altruísta é verdadeiramente humana!
E diferente do engano oitocentista que ainda nos sufoca,
a colaboração foi sempre mais decisiva para a evolução do que a competição.
ENCANTAMENTO PARA TODOS pode salvar você do tiroteio:
muros e grades jamais.
Sabemos como. Balas não voam sozinhas: seres humanos apertam gatilhos – porque seu olhar só aprendeu a ver monstros e carros reluzentes.
Mas no meio do tiroteio colhemos flores – e plantamos.
Contra a Cultura do Medo usamos a Magia da Verdade,
e fazemos ver que nenhum ser humano é apenas monstro
– nem dentro nem fora dos carros.
Ainda no meio do caos recuperamos o poder de encantar-se com estrelas, botões de flores,
botões de gente.
Devolver às mentes as imagens sequestradas do Bom,
do Belo, do Justo, do Verdadeiro.
Não, não é babaquice: ao cinismo
tratamos com sua própria receita: mandamos embora
já que nunca nos deu nada que valesse a pena.
Que, acima de tudo, se devolva a cada Ser Humano o seu direito máximo: a chance verdadeira de desenvolver livremente seus potenciais.
Sobretudo, é claro, no nível do SER,
porém sem negar a justíssima, enquanto modesta, importância do Ter.
ENCANTAMENTO PARA TODOS pode salvar você E SEUS FILHOS do tiroteio: muros e grades jamais.
Sabemos como. Mas é preciso que uma parte dos seus carros novos seja convertida em recursos para o REENCANTAMENTO DA EDUCAÇÃO DE TODOS.
Apoie este impulso e demonstraremos sua realização – no tempo
que você quiser: um dia, dois anos, três décadas, uma civilização.
Começar a reencantar-se e a reencantar o Mundo:
quem pode é VOCÊ.

Este texto foi elaborado em 2001 por Ralf Rickli ao longo de alguns meses de debates e conversas com um grupo de jovens reencantados e reencantadores, na Associação Trópis, na Periferia Sul de São Paulo. Nesse processo, os jovens participaram ativamente da crítica e aperfeiçoamento do texto. Posteriormente, este ainda passou por diversas revisões, objetivando principalmente aperfeiçoar seu ritmo e fluência. A última delas foi realizada em março de 2014, antes da leitura do texto dentro da Reunião Interna Geral da SEADH - Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos do Espírito Santo, que teve lugar no último dia 24.03.2014.
ESTA ÚLTIMA VERSÃO ESTÁ DISPONÍVEL TAMBÉM EM PDF (1 folha A4) em http://www.tropis.org/biblioteca/manifesto-reencantamento-folder.pdf . Em breve estará também nos demais links relativos a esse manifesto no domínio tropis.org

Nenhum comentário:

Postar um comentário