Acredite nos que buscam a verdade... Duvide dos que encontraram! (A.Gide)

03 maio 2010

"Aos que podem salvar o mundo" e outras novidades disponíveis na Biblioteca Virtual Trópis

Caros amigos,
 
estou comunicando a quem possa interessar que este fim-de-semana dei uma atualizada & organizada na disponibilidade de trabalhos meus na net, na Biblioteca Virtual Trópis.
 
Agora a maior parte dos trabalhos se encontra disponível tanto em PDF quanto em DOC zipado. Além disso, criei um índice alfabético dos trabalhos, paralelo ao antigo por temas, e a coletânea de textos Pedagogia do Convívio (2006) passou a estar disponível como um arquivo único, e não só na velha forma (dividida em 16 arquivos).
 
Mas principalmente estou divulgando amplamente pela primeira vez o AOS QUE PODEM SALVAR O MUNDO, que escrevi como monografia de curso de especialização o ano passado - e que, honestamente, acho que acabou sendo dois pratos diferentes misturados numa panela só, e um dia ainda pretendo separar em dois livros. Mas como acredito na qualidade das diferentes partes (só não na sua combinação num trabalho só), e essa forma desmembrada ainda pode demorar bastante, estou colocando assim mesmo à disposição.
 
Para entender o subtítulo, é bom saber que o curso era focado em Educação Infantil e se chamava "Pedagogia da Arte da Paz". E o subtítulo do trabalho é: "a Filosofia e Pedagogia do Convívio e seu apelo por uma nova Consciência & Arte dos Pais". Resumo aqui o conteúdo principal de cada uma das quatro seções:
 
0. O período da amnésia infantil como porta invisível do Outro Mundo Possível (esse é o título de uma sub-seção da Introdução, mas expressa o sentido do todo). Todos sabem que "um outro mundo é possível" é o lema do Fórum Social Mundial. Acontece que na vida real não faltam evidências em favor das declarações de certos direitistas: "o socialismo só seria possível com outro ser humano" ou "... se o mundo fosse feito de santos". Em lugar de protestar, aposto na perspectiva aberta por um pequeno ajuste na última palavra: "se o mundo fosse feito de sãos". Com elementos de psicanálise e de neurociência, tento mostrar que não somos capazes de ser sociais porque somos todos doentes num sentido bem específico, causado pela forma inadequada com que fomos tratados antes dos 3 anos de idade. (Exceções, se há, são raríssimas). E o principal desafio dessa doença é o fato de nos induzir a reproduzi-la nas próximas gerações, cometendo os mesmos erros que fizeram conosco, sem nenhuma consciência do que estamos fazendo. Portanto jamais haverá redenção social se não inventarmos modos de evitar que uma geração reproduza suas próprias deformidades psíquicas na seguinte (independente de buscar-se essa redenção social mediante "o modelo clássico de revolução" ou por outros meios, questão cuja discussão obviamente não cabe neste pequeno comunicado).
 
1. Formação e características de um caminho de pensamento-ação: a orientadora sugeriu que eu aproveitasse a oportunidade para fazer um registro acadêmico das idéias da Pedagogia do Convívio... e eu fui atrás; a idéia era boa, o problema é que é um tema grande demais para ser desenvolvido junto com o tema principal num trabalho só! Enfim, tem-se aqui um relato de resgate autobiográfico: quê passos me levaram até a Trópis e, uma vez dentro dela, quê passos levaram à descobrir a importância da Educação Parental. Isso vem alternado com "destaques teóricos" que têm a ver de um modo ou de outro com o passo biográfico que se acaba de relatar. Muitos desses "destaques teóricos" serão convertidos em artigos independentes, com o tempo (a seção 1.11.2 já foi).
 
2. Explorando o legado de uma experiência: foram entrevistados dois jovens pais e uma jovem mãe que passaram pela experiência da Educação Convivial na Trópis, em busca de sinais de se tal experiência fez diferença ou não na qualidade da sua atuação como pais.
 
3. Brainstorming no rumo de um movimento pela Conscientização Parental - uma coleção de idéias práticas a respeito, aproveitando as contribuições dos alunos entrevistados e outras mais.
 
Relembro vocês que isso tudo está disponível em www.tropis.org/biblioteca , e me despeço transcrevendo as três epígrafes, que de certa forma condensam o espírito do trabalho inteiro. Abraços a todos, .................Ralf
 
 

Se os sofrimentos das crianças vierem a completar aquela soma de sofrimentos que é necessária para comprar a verdade, afirmo de antemão que toda a verdade não vale esse preço.

Fiódor Dostoiévski

 

Para que a utopia nasça, é preciso duas condições: a primeira é a forte sensação (ainda que difusa e inarticulada) de que o mundo não está funcionando adequadamente e deve ter seus fundamentos revistos para que se reajuste. A segunda condição é a existência de uma confiança no potencial humano à altura da tarefa de reformar o mundo, a crença de que "nós, seres humanos, podemos fazê-lo", crença esta articulada com a racionalidade capaz de perceber o que está errado com o mundo, saber o que precisa ser modificado, quais são os pontos problemáticos, e ter força e coragem para extirpá-los.

Zygmunt Bauman

 

Não aprendemos a fazer o que nos dizem; aprendemos a fazer o que nos fazem.

Marcos Ferreira Santos

 
................................................................
Ralf Rickli • arte em idéias, palavras & educação
http://ralf.r.tropis.org • (11) 8552-4506 • S.Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário