Acredite nos que buscam a verdade... Duvide dos que encontraram! (A.Gide)

12 abril 2008

Borba Gato: A SENTENÇA - discussão urgente

Pessoal -
 
depois que levantei a questão de que a sentença "volte para sua terra" seria inadequada, somente a Graça disse uma palavra a respeito: a de que esperava ouvir outras opiniões sem se pronunciar.
 
E no entanto é uma questão urgente. Não podemos partir para a ação sem ter pensado nela. Anoto aqui 2 razões.
 
1. Além da razão que já apontei, há outra razão DECISIVA para questionar essa fala: BORBA GATO NASCEU NO BRASIL.
 
Ele não é um exemplo de "estrangeiro roubando esta terra", mas um exemplo típico do início da formação da classe exploradora brasileira (no sentido em que falei na reunião), aliada da burguesia internacional (como se diz na 'teoria da dependência' formulada pelo FHC no tempo em que ele era sociólogo de esquerda...) - isso em contraste com o povo brasílico, brasilense, brasiliano, brasilês, como se queira.
 
Borba Gato atuou sobretudo em Sabará, MG, e morreu lá. Dizer 'VOLTE PARA A SUA TERRA' significaria dizer 'volte para São Paulo'. Ora, com as comunicações de hoje a elite sucessora de Borba Gato administra muito bem a exploração do Brasil inteiro sentada nos seus escritórios de São Paulo... então isso não seria condenação nenhuma!
 
 
2. Insisto também na primeira razão apresentada: no mundo de hoje, "volte para sua terra" é uma das falas mais características da direitaÉ precisamente a fala com que a Europa e os EUA barram a entrada dos demais povos do mundo lá no local onde as riquezas do mundo foram concentradas. É precisamente a frase que a Marilena Chauí ouviu uma madame paulista gritar para a Erundina: "volta pra tua terra, vagabunda, que o teu lugar é lá". 
 
Em contraste, nas suas origens o movimento socialista era absolutamente internacionalista. O problema da globalização não é ser globalização: é ser uma globalização dirigida por poucos. E um mundo liberto será um mundo de cidadãos-de-mundo, e não do aprisionamento das pessoas neste ou naquele pedaço de terra. Eu jamais poderia colaborar com um movimento que levasse água para ESSE moinho!
 
 
CONCLUINDO: volto a propor que a sentença seja: "trabalhar a serviço do povo brasílico, sobre as ordens deste - ou em absoluta subordinação a este" - deixando claro que os serviços requeridos não serão os de ladrão, assassino ou estuprador. Afinal, o sujeito também teve habilidades de descobridor de riquezas minerais, de administrador etc.
 
Sobretudo: se entendemos que onde se diz "Borba Gato" se está dizendo "burguesia nacional", e muito especialmente "elite paulista", não seria precisamente isso o que queremos?
 
Eu juro que não tenho nenhuma vontade de ver aqui a onda de execuções e deportações com que a maior parte das revoluções começou, e que foi sempre o ato de semeadura das forças que viriam depois destruir essa mesma revolução, quer de dentro (mantendo-a como farsa, como no caso de Stálin), quer a partir de fora.
 
Em troca, não tenham dúvidas de que eu teria enorme prazer em ver a tal madame fazendo faxina sob as ordens da sua ex-empregada...
 
Abraços promíscua e deliciosamente interraciais e cosmopolitas,
 
Zé Ralf
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário