Acredite nos que buscam a verdade... Duvide dos que encontraram! (A.Gide)

03 setembro 2011

Colaborando: Nota do COMANDO DE GREVE dos servidores municipais de São Paulo - JUSTÍSSIMO!

.
POUCAS VEZES VI UMA GREVE TÃO JUSTIFICADA QUANTO ESTA, e no entanto... cadê vocês, amigos paulistanos de esquerda? Usar os serviços públicos de Sampa e não apoiar essa greve é ser conivente com essa bárbara exploração! No momento estou a 400 Km daí, mas sei bem de quê realidade se trata, e tentarei colaborar NO MÍNIMO ajudando a circular a nota abaixo!  (Ralf)

============================================


O SINDSEP – SINDICATO DOS TRABALHADORES NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E AUTARQUIAS DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO informa à população da Cidade de São Paulo que:

1) Os servidores municipais entraram em seu quarto dia de greve e paralisam vários serviços no município.

2) Nossa greve é fruto da intransigência do governo municipal em negociar nossa pauta de reivindicações, entregue no dia 18/02/11.

3) O governo mente quando diz que deu um reajuste de 15%. Na verdade aumentou o chamado “piso mínimo”, que é a soma do padrão e de todas as gratificações, ou seja, se algum servidor ainda receber menos que R$ 630,00, será feito um complemento (abono) para chegar neste valor. Essa medida atingiu apenas 10.000 trabalhadores aposentados.

4) O governo mente quando diz que o SINDSEP recusou 11,23%. A verdade é que essa proposta beneficiaria exclusivamente o Quadro da Saúde (médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem) e mesmo assim, só a partir de janeiro de 2012.

5) O próprio TCM (Tribunal de Contas do Município) publicou no DOC (08/07/2011, pgs 79 a 92) seu parecer das contas da Prefeitura relativas ao ano de 2010, que diz: “Os dispêndios com pessoal, no exercício atingiram a ordem de 29% da Receita Total Consolidada, menor que em 2009 quando o total da despesa representou 32%” e conclui “ a revisão anual acumulada dos vencimentos nos últimos seis exercícios foi de apenas 0,33%. As revisões salariais concedidas com base no disposto no artigo 1º da Lei Municipal no. 13.303/02, desde o exercício de 2005 foram de:
- 2005 – 0,10%
- 2006 – 0,10%
- 2007 – 0,10%
- 2008 – 0,01%
- 2009 - 0,01%
- 2010 – 0,01%
Sobre os reajustes quadrimestrais: em apenas dois dos dezoito últimos quadrimestres houve concessão de reajustes
- 1,17% em novembro de 2005 e
- 0,97% em novembro de 2006.
Perfazendo um reajuste acumulado de 2,15%, em relação 30,96% do incide do IPC-FIPE acumulado no período”.

6) A política salarial adotada pelo prefeito é de divisionismo e exclusões, pois gratificação não é salário.

7) Com isso nosso salário padrão(inicial) para servidores de 40 horas é de:
- nível básico - R$ 440,39
- nível médio - R$ 645,74
- nível superior - R$ 1.838,47, conforme Diário Oficial de 04 de junho de 2011.

8) O Prefeito, em junho deste ano reajustou seu salário em 95% (noventa e cinco por cento), em 294% (duzentos e noventa e quatro por cento) o do Vice-Prefeito e em 251% (duzentos e cinqüenta e um por cento) o dos secretário municipais. O restante do funcionalismo, neste ano de 2011, recebeu 0,01%!

9) A greve é o último recurso dos servidores para exigirem seus direitos, nossas perdas de 39,79%(janeiro 2004 a dezembro de 2010), são fruto de uma lei salarial que arrocha nossos salários.

Diante disso propomos:

• MANUTENÇÃO DA GREVE DO FUNCIONALISMO COM NOVA ASSEMBLÉIA DIA 05 DE SETEMBRO ÀS 10 HORAS EM FRENTE AO GABINETE DO PREFEITO
• SUSPENSÃO DA GREVE NO SERVIÇO FUNERÁRIO POR CONTA DA DECISÃO JUDICIAL, QUE É UM ATAQUE AO EXERCÍCIO DO DIREITO DE GREVE
• ABERTURA IMEDIATA DAS NEGOCIAÇÕES, FIM DAS RETALIAÇÕES E DE PERSEGUIÇÕES POR CONTA DA GREVE
• PAGAMENTO DOS DIAS PARADOS SEM LANÇAMENTO DE FALTAS


SEM FUNCIONÁRIO PUBLICO A CIDADE PARA
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário