Acredite nos que buscam a verdade... Duvide dos que encontraram! (A.Gide)

16 agosto 2011

Transtorno Borderline em abordagem antroposófica : Ralf R. comenta o lançamento da sua tradução

Caros amigos, há poucas semanas a Editora Antroposófica lançou o livro Transtorno Borderline, em tradução do alemão que fiz em 2007, quando estava morando em Santos, a pedido do Instituto Rudolf Steiner de Curitiba. Faço alguns comentário abaixo, depois do anúncio da Editora.

Caso não visualize as imagens abaixo, acesse a versão online.
TRANSTORNO BORDERLINE
Dieter Beck / Henriette Dekkers / Ursula Langerhorst
Considerado uma enfermidade psíquica de nossa época, o chamado 'transtorno borderline' é apresentado aqui por Dieter Beck, Henriette Dekkers e Ursula Langerhorst segundo seus conhecimentos e suas experiências clínicas e terapêuticas no âmbito da Antroposofia. Numa sequência de três artigos com diferentes abordagens, porém numa sintonia conceitual e metodológica, os autores focalizam o tema segundo as características evolutivas da alma humana e seus distúrbios no processo de integração à realidade individual, ambiental e social.

por R$30,00
Livraria Virtual da Editora Antroposófica
Livros para o Autoconhecimento e a Ampliação Cultural

COMENTANDO: Quem me conhece há algum tempo sabe que mantenho com o pensamento de Rudolf Steiner ou derivado dele (= Antroposofia), a mesma relação de intercâmbio aberta que mantenho com, por exemplo, Freud e Marx e suas respectivas "escolas".

Tendo começado a estudar a Antroposofia há 33 anos, sou-lhe imensamente grato por uma série de perspectivas e de chaves de interpretação utilíssimas, que fazem grande diferença - mas ao mesmo tempo avalio que parte considerável de seu discurso e de suas práticas não se sustenta como pode parecer antes de uma análise profunda, e "torço" para que com o tempo essas partes sejam consideradas superadas pelo próprio movimento, em benefício da parte que se sustenta e pode dar contribuições tão preciosas ao equacionamento das grandes questões da humanidade.

Nos 3 estudos que constituem este livro, o pensamento psicológico antroposófico interage com a maior seriedade com conhecimentos psiquiátricos, psicológicos e psicanalíticos não-antroposóficos, e o resultado (mesmo que não se concorde com 100%) é luminoso e iluminador. Considero um privilégio ter tido a oportunidade de traduzi-los, pois o aprendizado foi imenso!

Inclusive só agora, com certa distância, vejo que talvez vindo dele o impulso mais decisivo para a minha monografia Aos que podem salvar o mundo: a Filosofia e Pedagogia do Convívio e seu apelo por uma nova consciência & arte dos pais.  Pois, entre tantos outros problemas individuais e sociais, também o transtorno borderline se mostra aqui como consequência de falhas no acolhimento da individualidade humana na primeira infância.

Em resumo: recomendo e muito! Longe de ser só para psicólogos e profissionais de saúde, um livro para qualquer um que se interesse pelo ser humano em profundidade.

Um grande abraço,
Ralf

Um comentário:

  1. Não vou negar que é muito bom ter um exemplo assim, ver alguem que pode se posicionar de tal maneira na relação com o conhecimento que nos revela claramente a possibilidade de não sermos escravos dele! Genial seu modo de se expressar em relação a obras tão relevantes e que tanto nos apoiam na travessia da condição humana

    ResponderExcluir