Acredite nos que buscam a verdade... Duvide dos que encontraram! (A.Gide)

19 janeiro 2008

Balançando entre a Filosofia & a Poesia

Já faz algum tempo que me propus a ressuscitar este blog, passando a escrever nele todo sábado.
Só que... aí eu inventei que a primeira nova postagem seria o comunicado de estar publicando de uma vez dois pequenos mas pretensiosíssimos textos filosóficos:
  • Desplantes Filosóficos I:
    Para um Estatuto Fundamental da Humanidade

  • Desplantes Filosóficos II:
    Energia, Informação, Intencionalidade, Consciência:
    elementos para uma onto(cosmo-psico)logia contemporânea
E aí comecei uma revisãozinha no segundo desses artigos... e com mais de um mês de trabalho intenso... parece que estou cada vez mais longe do fim. AAAAAAAaaaaaaaaargh!!!!!!  Tanta outra coisa que eu queria estar escrevendo, publicando, e fazendo aqui fora na vida física!...
Uma delas, por exemplo, era começar a publicar POESIA na net: como ando cada vez mais descrente de publicar as coisas em forma de livro (porque termina sendo um objeto de propriedade do editor dono do capital, e não do autor...), pensei: vou começar a botar pouco a pouco na net as mais de 400 páginas de poesia que eu acho que tenho por publicar (além das cento e poucas que já publiquei em outros lugares).
Só que não quero me permitir começar esse novo empreendimento antes de publicar os referidos Desplantes!
MAS HOJE EU DISSE: TÁ, CHEGA.
Os Desplantes Filosóficos vão pro ar quando estiverem prontos, não importa quando, mas eu quero começar JÁ minha rotina de publicar no blog aos sábados. E vou começar com um pouco de Poesia, que ando morrendo de saudades dessa menina (a própria Poesia, bem entendido!). Depois, uma hora eu passo do blog pro endereço definitivo.
Tá, mas começar com o quê?... Olha, juro que deu vontade de ser com alguma coisa assim mais pro lado erótico (ainda que o meu acabe sendo sempre um erótico pra lá de estilizado, quando não filosófico... MAS QUEM DISSE QUE IDÉIAS NÃO DÃO TESÃO??) -
... mas aí resolvi começar mais de leve: 4 coisas ou coisinhas relativamente recentes, a última delas quase um texto filosófico-teológico-existencialista (pra não ficar devendo muito ao plano original...), as outras mais light.
E vai lá:

        * * *
Bom dia, Coisa!
Pensa que eu não sei
que você me espia?
Que você também
quer falar comigo
enquanto eu olho aqui
para o meu umbigo?

Bom dia, Coisa! Parece
que só resta você!
Humanos já mal se olham,
sempre têm o que fazer! -
e os bichos - tão meus iguais! -
seguido me cansam
de tão animais!

Bom dia, Coisa, bom dia...
mas fique aí no lugar!
Cada dia mais viva, mais móvel...
pra mim, o que vai restar?
Mai.05


        * * *
- olhe, que coisa mais linda!
- o quê? não estou vendo nada.
- ali, ali, no canteiro!
- ah, é apenas o sol poente   batendo de lado nas folhas...
- apenas? mas é um hino de glória!
  você por acaso   é surdo dos olhos?
Jun.05

 

        * * *
quanto mais te conheço
menos te sei:
mais e mais te me tornas
um quase eu:
um universo
em que estou dentro demais
pra que pudesse entender
Jul.97/Mar.98


        * * *

Deus me mandou tentar viver sem Deus. 
Sem nada do que nos acostumamos a pensar como sendo Deus, e como sendo o que Deus pede de nós.

Ele me disse:
se Eu existo, e Sou o que Eu Sou,
Eu estarei em você sem você se preocupar com isso.

Apenas viva buscando ser bom
porque é bom
e não porque isso tenha o carimbo "de Deus"
e não fique tentando me abranger com a sua consciência
pois isso seria garantia de você terminar sendo guiado
por uma imagem menor de mim
que não é o que Eu Sou.

Se você me ama mesmo
apenas me deixe estar em você
como a água está no peixe
(em volta e dentro e dentro e em volta)
e esqueça os nomes que me dão.
Ocupe-se em ser quem você é
enfrentando as situações que estiverem diante de você
sem delirar que o rio secaria
se você não dissesse o tempo todo
                   "ó Água, ó Água, ó Água!..."

Se você me ama mesmo,
veja se CALA meu nome
e os discursos sobre minha existência e importância
pois não há nada mais insuportável
que um bando de peixes que não param de falar.

Jul.07

Um comentário:

  1. BRAAAAAAAAAVO !!!!!!!

    ...por el poema "Buenos día cosa", que coisa mais linda, mais cheia de graça ... siento como si las que están cerca de nosotros se impregnan del olor de nuestra alma.

    ResponderExcluir